terça-feira, 31 de julho de 2012

Canga de ferro


Muitos Km percorreu o meu avô com machos atrelados a esta canga. Com carroça para carregamento de produtos ou charruando as terras.É que os tractores  são coisas relativamente recentes.
Está muito enferrujada, mas vai ser pintada e vai dar mais colorido à horta.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Ninho



Os pintassilgos já se passeiam pela horta. Quando chegou a sua altura, como acontece com toda a gente, abandonaram a casa e é vê-los felizes cantarolando e pulando de ramo em ramo. É gira a natureza.

Carro de cortiça





Muitas horas eu brinquei na minha infância, com carros feitos de cortiça , como este.
Como no Alentejo cortiça é coisa que não falta, então o pessoal puxava da sua imaginação e então não havia criança que não fizesse o seu carro. Depois era cana encostada ao ombro, mãos no volante e era ver as corridas a toda a velocidade pelas azinhagas da aldeia. Bons tempos.
Fiz deste carro para mostrar aos meus filhos como eram as brincadeiras de então, muito diferentes das de agora, Sinais dos tempos.

sábado, 21 de julho de 2012

Mesa



Uma palete, dois suportes de ferro e aí está uma mesa útil para qualquer utilização. Por agora vai servir para a preparação da alimentação das aves do galinheiro.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Carpa






Finalmente lá consegui fotografar a carpa do meu lago. Está mais habituada à presença dos humanos e até já se dá muito bem com a tartaruga. Brevemente irá ter companhia, penso que irá gostar.

Cozido de Grão com Vagens à Alentejana (ingredientes)

Hoje foi dia de almoço de cozido de grão com vagens à alentejana, com legumes da horta.






A panela com os grãos e as carnes a cozer

Receita completa  aqui

terça-feira, 17 de julho de 2012

peras




É colher da árvore, lavar e comer com casca.

Maçãs




As minhas macieiras lá vão produzindo todos os anos alguma fruta, que embora seja pequena é muito saborosa.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Rosas



Adoro rosas, a vermelha que parece ser de veludo, é linda.

Aboboras


Tenho o hábito de deixar algumas sementes junto de árvores. Neste caso foi junto a uma macieira, e depois dá nisto. Parece que as abóboras gostam de trepar e lá do alto dizerem-nos que também são capazes de subir na vida, precisam é de algo muito sólido por perto para as apoiar.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Feijão frade


Assim vai a minha sementeira de feijão frade. Relativamente à exactamente um mês atrás o crescimento foi enorme

Abóboras e mogangos







Atirei  para junto desta oliveira, sem qualquer critério, sementes de abóbora e mogango e agora é só regar e deixar a natureza funcionar e ver qual o resultado final.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Rãs



Estas são mas novas habitantes do lago, que ao contrário das tartarugas não se limitam a ficar no lago e deambulam pela horta à procura de insectos e vermes para a sua alimentação. Emitem sons variados que servem para delimitar o seu território e atracção da fêmea para acasalamento. É uma espécie de concerto de música, diário e completamente grátis.

Tartaruga

Está crescida a minha tartaruga e adora estar ao sol em cima desta pedra.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Tanque





Estamos em altura das festas populares. O meu tanque não podia deixar de estar engalanado, até com manjericos alusivos à época ele se ornamentou.

Feijão verde


Autentica obra de arte a armação deste ano para o feijão verde trepar, já ficou melhor do que a do ano passado. Só espero que o vento não sopre com demasiada força e a derrube.

Milho



Este ano utilizei umas sementes de milho, que retirei da comida das galinhas e coloquei-as junto a este caminho na horta, e não é que lá está o milho a crescer. 

Pessegueiro

 O pessegueiro que é exemplar único na horta, este ano cometeu a proeza de nem sequer um único pêssego produzir. Eu que estava habituado a todos os anos por esta altura comer belíssimos pêssegos estranhei muito.
Não faço a mínima ideia do porquê desta situação.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Rosas




Rosas amarelas e vermelhas que não gostam muito dos calores que se fazem sentir no verão aqui no Alentejo, mas lá vão resistindo.

Lírios



Lírios e jarros amarelos junto ao diospireiro.

Dália

Este ano as dálias estão a aparecer muito envergonhadas.

Milho indiano



Por aqui chamamos-lhe milho indiano, mas acho que não deve ser o nome correcto. É uma flor que tem uma raiz superficial e que se vai propagando, tendo que ser retiradas alguma raízes todos os anos durante o outono, para evitar que invadam a horta. São lindas , este ano só ainda não floriu o amarelo, mas não deve faltar muito para que tal aconteça.