segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Lume na casa da horta






No 1º fim de semana de Novembro de 2012 chuvoso e frio um grupo de 15 amigos reuniu-se de manhã na casa da horta, objectivo: fazer um cozido para o almoço.
Promessa cumprida, cozido feito com legumes da horta, estava delicioso. Como não podia deixar de ser foi acompanhado com um bom vinho alentejano e com lume de chão para amenizar o ambiente.
Durante a tarde jogamos à sueca e pusemos as conversas em dia, pois alguns de nós já não se via à algum tempo.
À noite fizemos massa no caldo cozido, assamos castanhas e já de madrugada cada um regressou ao seu lar, bem dispostos e com a promessa de nos voltarmos a reunir muito brevemente. A ementa já está decidido que vai ser um prato de caça, promessa de alguns caçadores do grupo.

A vida deve ser vivida o melhor possível, junto dos nossos familiares e amigos.






sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Alfaces


Gosto muito de salada de alface, junto-lhe sempre hortelã, coentros e cebolinho.   Posso-vos dizer que fica muito saborosa, é de comer e chorar por mais.

Repolho coração de boi


Os meus primeiros repolhos coração de boi, quase quase capazes de entrar na panela.

Broculos


Broculos, repolho coração e couve flor




Estes são os meus primeiros broculos deste ano

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Funcho


Está imponente o meu funcho este ano. Também conhecido por erva doce é utilizado em culinária  de muitas e variadas maneiras.

Tangerineira


A minha tangerineira única no mundo lá vai produzindo as três qualidades de clementinas e tangerinas.

sábado, 17 de novembro de 2012

Laranjas


Estão quase prontas para colher e cá em casa todos somos grandes apreciadores de laranjas.

Diospiros



Devem ser colhidos ainda verdes e colocados numa superfície lisa e deixá-los amadurecer. Assim evita que a sua casca estale o que acontece se os deixarmos amadurecer na árvore.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Oliveira centenária





Há muitos anos que produz  azeitona. Mais de cem com toda a certeza. Eu desde que me conheço que a admiro, sempre imponente junto à estrada . Já viu passar milhões de pessoas e de automóveis e sei lá mais quantas outras coisas que só ela sabe e não conta a ninguém, não é de novidades. 
Permanece sempre impávida e serena dia após dia  como que a dizer a toda a gente que não vale a pena andar a correr, pois a vida deve ser vivida com a maior calma possível. 
Quase todos os fins de semana lhe faço um pouco de companhia sentado no banco que construí por baixo dela.Temos grandes conversas acerca da vida em geral e do estado em que o país se encontra.
A ultima conversa foi animada e por fim disse-lhe que embora seja um pouco doloroso, vou ter que aliviar a sua carga e vai ter que ser ripada de quase toda a sua azeitona, coisa com que ela não concordava pois afirmava que lhe tinha custado muito a criar e manter aquele seu património. 
Por fim acedeu e baixinho segredou-me, Oh João então não é isso que nos estão a fazer a todos nós neste país a "ripar-nos".
Não lhe dei resposta, sorri, levantei-me e pensei para comigo é mesmo isso grande oliveira, tens toda a razão.

Lago


Como está calmo e lindo o meu lago quase livre da tal junça (por vezes ainda aparece). Não é de todo a plantação indicada para aqui

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Azeitona





O fim de semana passado foi quase dedicado à apanha da azeitona. No próximo há mais se o tempo o permitir, depois é "só" retalhar, temperar e comer.

Nabos



Foram desbastados, aproveitada a nabiça e foi deixado espaço entre eles para se poderem desenvolver. Agora é altura de ir  colhendo e utilizar em diversos pratos de culinária.
Normalmente podem ser utilizados sem que endureçam até ao fim do mês de Fevereiro.